Lemate aprova o projeto sobre cooperativismo no Edital CNPq/Sescoop

12/02/2019 09:38

Em tempos de vacas magras para a C&T e de retrocessos na política em geral e, em particular, nas políticas públicas, integrantes do Lemate aprovaram o projeto “Educação em cooperativas de crédito rural solidárias em Santa Catarina” no Edital CNPq/Sescoop. Coordenado pelos prof. Cazella e Fábio Búrigo, o projeto conta com a participação dos seguinte membros: Prof.a Marlene Grade, Anderson Romão; Luiz Pizollo da Silva, Stefani T. Perez, Marcos C. Rocha e Leandro Guimarães N. de Paula. Este projeto visa investigar processos educacionais realizados por cooperativas de crédito solidárias, analisando sua influência na organização do quadro social e os impactos nos seus resultados socioeconômicos. Especificamente, pretende estudar os programas de formação e capacitação realizados pela Cooperativa de Crédito Rural com Interação Solidária Cresol Águas Mornas-SC (CAM), que está à frente de um processo de fusão com outras quatro cooperativas com o propósito de constituir a Cresol Vale Europeu. Trata-se de uma excelente oportunidade para membros do Lemate darem continuidade aos trabalhos acadêmicos sobre essa temática, que representa uma das linhas de pesquisa mais antiga do Laboratório. Além disso, o cooperativismo de crédito solidário é o principal campo de atuação do prof. Búrigo, que realizou seu mestrado e doutorado sobre esse tema.

Integrante do Lemate desenvolve projeto de pesquisa em parceria com pesquisadores da University Bristish Columbia do Canadá

12/02/2019 09:35

Os professores Ademir A. Cazella, Abdon Schmitt participam da equipe do projeto The role of small farms in global food security and sustainability, em parceria com a prof.a Hannah Witmann da University Bristish Columbia do Canadá. Este projeto é financiado pelo governo canadense e será executado entre 2017 e 2021. Seu objetivo principal consiste em verificar com pesquisa empírica as evidências difundidas por agências de desenvolvimento internacionais de que as pequenas unidades agrícolas são responsáveis por 70 a 80% da produção mundial de alimentos. Our proposed research will empirically investigate, and more accurately theorize, the fundamental relationships between farm size, the amount and type of food produced, management practices, and socioeconomic and ecological contexts and outcomes. O estado de Santa Catarina no Brasil e do Kerala na Índia compõem as unidades geográficas das pesquisas empíricas. No momento, dois estudantes canadenses (University of British Columbia) e um norte-americano (University of Michigan) encontram-se em SC para realizar pesquisas de campo. Os três acadêmicos estão vinculados ao PGA como “Alunos Convênios” e contam com a supervisão científica de professores do Programa: Evan Bowness pesquisa o tema da agricultura urbana em parceria com o Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro); Dana James estuda experiências de agroecologia em três regiões do estado (Extremo-Oeste, Serra Catarinense e Encostas da Serra); Anne Elise Stratton investiga o manejo da diversidade de culturas nos agroecossistemas para funções ecológicas e nutricionais.

Os dois primeiros contam com o acompanhamento acadêmico do prof. Cazella, sendo que no Extremo-Oeste a pesquisa de Dana está sendo auxiliada pela equipe do prof. Adinor Capellesso, o qual cursou mestrado e doutorado no PGA e atualmente atua como professor do Instituto Federal de Santa Catarina – Campus de São Miguel do Oeste, e a terceira aluna é supervisionado pelo prof. Jucinei Comin. Os três contam com a parceria do Cepagro, sobretudo para pesquisas de campo.

       

Prof.a Hannah Witmann, Dana James e Evan Bowness da University of British Columbia do Canadá e Anne Elise Stratton da University of Michigan dos EUA

Pesquisador do Lemate integra coletânea Questões Agrárias, Agrícolas e Rurais

07/04/2018 14:43

O professor Ademir Cazella, pesquisador do Laboratório de Estudos da Multifuncionalidade Agrícola e do Território (Lemate), é um dos autores que compõem coletânea recém lançada pela editora E-papers. O capítulo escrito por Cazella, professor titular  do CCA/UFSC e docente permanente do PGA/UFSC, com o título “Governança fundiária: caracterizar melhor para melhor apoiar”,  destaca a falta de informações e conhecimento sobre terras no Brasil.

O pesquisador lamenta o atraso na montagem de um sistema eficaz de cadastro de terras. Atraso esse que tem como consequência um déficit de governança fundiária, prejudicial aos atores e organizações que atuam com a questão agrária. “Somente a construção de um eficiente sistema de cadastro de terras, fundamentado em um banco de informações sobre as unidades rurais pode fazer o Brasil superar o atual déficit de governança fundiária”, afirma Cazella.

A coletânea Questões Agrárias, Agrícolas e Rurais foi organizada pelos pesquisadores Renato Maluf e Georges Flexor e foi lançada em março de 2018. Ela é fruto de um projeto desenvolvido pelo Observatório de Políticas Públicas (Oppa) em conjunto com o Núcleo de Estudos sobre Agricultura e Desenvolvimento (Nead) do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), extinto pelo grupo que tomou posse do governo federal no ano de 2016. Os trabalhos tiveram início em 2013 com o objetivo de desenvolver subsídios técnicos nos temas de política econômica, agrícola e de formação e regulação de preços, bem como na relação de interdependência entre as atividades rurais e urbanas, visando a qualificação da atuação do extinto MDA.

 

Tags: agráriaagrícolalematequestão agráriaruralufsc

Pesquisadores da UFSC participam de missão em Minas Gerais com foco nos produtos locais

06/04/2018 10:19

Matéria do Notícias da UFSC (publicada em 27/03/2018 11:29)

 

O mestrando Leandro Guimarães, vinculado ao Laboratório de Estudos da Multifuncionalidade Agrícola e do Território (Lemate), e o professor Aparecido Lima da Silva, do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias (CCA), da UFSC, participaram de uma missão de estudo no estado de Minas Gerais. Juntamente com uma equipe interinstitucional e representantes de agricultores da Serra Catarinense, eles estiveram, entre 2 e 7 de março, nos municípios mineiros de Tiradentes, São Roque de Minas e Patrocínio.

O objetivo da missão foi vivenciar as experiências de indicação geográfica e valorização de produtos e serviços locais. Assim, os integrantes da “Missão MG” conheceram as novas tecnologias, tendências, boas práticas e as ações de cooperação empreendidas nos municípios visitados, que podem ser adaptadas à região serrana de Santa Catarina.

A missão foi organizada pelo Sebrae-SC e contou com participação de representantes da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Associação de Municípios da Região Serrana, Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Associação Empresarial de Lages, Câmara de Dirigentes Lojistas de Lages, Associação Brasileira de Produtores da Maçã, produtores de maçã e de mel de melato e pesquisadores da UFSC.

O primeiro destino da atividade foi Tiradentes, onde o grupo pôde presenciar iniciativas da valorização dos produtos e serviços locais por meio da gastronomia e a realização de uma feira municipal, que integra um roteiro turístico nos produtores da região, denominado “Rota do Sabor de Tiradentes”. Além disso, os envolvidos dialogaram com duas representantes da Associação Empresarial de Tiradentes, organização que promove diferentes ações, como eventos e capacitações, além de atuar junto ao poder legislativo municipal.

Na sequência, foi realizada uma visita a São Roque de Minas, situado na Serra da Canastra. Neste município foi possível conhecer a história do queijo mineiro artesanal canastra e a atuação da Associação dos Produtores de Queijo Canastra (Aprocan). A Associação possui a certificação de registro de Identificação Geográfica do Queijo Minas Artesanal Canastra, que garante aos seus associados a agregação de valor, reconhecimento da notoriedade do produto e uma maior proteção do queijo produzido na região frente ao mercado nacional.

Por fim, o grupo conheceu algumas experiências em Patrocínio. Na Federação dos Cafeicultores do Cerrado foi assistida uma palestra sobre a história da indicação geográfica do café do Cerrado Mineiro e da Denominação de Origem, que foi a primeira denominação de origem de café no Brasil. Hoje, a federação é formada por representantes de 55 municípios e contém sete associações e nove cooperativas de produtores de café da região. Todos os produtores que participam dessas organizações passam por um processo de certificação da origem de qualidade da região, através de um sistema de rastreabilidade e de um selo de origem que certifica a origem e o laudo da qualidade do café.

A partir das experiências vivenciadas, os participantes discutiram as potencialidades da região serrana no que se refere à valorização dos recursos territoriais e, especificamente, a implantação da Indicação Geográfica para maçã fugi, o mel de melato e os vinhos finos de altitude da serra catarinense. Nesse sentido, foi reiterada a importância de um projeto de maior abrangência voltado à adaptação da metodologia da “Cesta de bens e serviços territoriais” formulada originalmente na França. A adequação dessa metodologia para a realidade catarinense teve início no fim do ano passado, por uma equipe interinstitucional, na qual incluem membros da UFSC, Sebrae, Mapa, Udesc, Epagri e Secretaria do Estado de Planejamento.

A “Missão MG” representa mais um passo no sentido de fortalecer parcerias institucionais e estimular novas ideias, que promovam o desenvolvimento rural. As iniciativas de indicação geográfica ou de denominação de origem são ferramentas de valorização de produtos específicos, mas também de desenvolvimento territorial sustentável.

Fotos: Divulgação
Mais informações pelo e-mail leandroguimaraesnunes@gmail.com
Tags: cesta de benslemateterritórioufsc

Lançado Retratos da Agricultura Familiar 6 – Vargeão

12/12/2017 00:19

Retratos da Agricultura Familiar Vargeão

Este número da Série Retratos da Agricultura Familiar dedica-se ao município de Vargeão, localizado no Oeste do estado de Santa Catarina.

A pesquisa de campo, que embasa esta publicação, foi realizada durante a disciplina Vivência em Agricultura Familiar (VAF), ministrada semestralmente aos cursos de Agronomia e Zootecnia, do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Santa Catarina (CCA/UFSC), campus Florianópolis. Entre os dias 13 de agosto e 03 de setembro de 2015,  estudantes matriculados na VAF no segundo semestre de 2015 realizaram um levantamento socioeconômico e ambiental com os agricultores familiares que lhes receberam durante a etapa de campo da disciplina.

A VAF é realizada em diferentes municípios de Santa Catarina e envolve famílias de agricultores selecionadas para receber estudantes de graduação durante 21 dias nas suas unidades produtivas (UP). Nesse período, os estudantes, cuja maioria é da 4ª fase dos cursos de Agronomia e Zootecnia, se integram ao grupo familiar num processo denominado de vivência.

Membros do Lemate participam da missão ‘Cesta de bens e serviços territoriais’ na Serra Catarinense

17/09/2017 13:20

Pesquisadores do Laboratório de Estudos da Multifuncionalidade Agrícola e do Território (Lemate) da UFSC, e instituições aliadas, participaram de uma missão de estudos com o professor francês Bernard Pecqueur na Serra Catarinense. Durante os dias 10, 11 e 12 de setembro, a equipe interinstitucional esteve nos municípios de Urubici, São Joaquim e Bom Jardim da Serra.

O objetivo da missão foi conduzir o professor Pecqueur para uma visita, na qual pôde visualizar a possibilidade de promover ações de suporte às metodologias de desenvolvimento rural. Posteriormente, os participantes discutiram as potencialidades da região, no que se refere à concepção de uma “Cesta de bens e serviços territoriais”, onde foram reunidos bens e produtos típicos de um território. No caso da Serra Catarinense, a cesta incluiu cultivos de maçã, fabricação de vinhos, queijo serrano e atividades vinculadas ao turismo rural.

As discussões e trocas de conhecimentos possibilitadas nesses três dias foram aprofundadas também durante o Seminário “Cesta de bens e serviços territoriais”, realizado no dia 13 de setembro, na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), que contou com uma palestra de Pecqueur, acerca do tema em questão. “Essa abordagem traduz a valorização conjunta de produtos e serviços ancorados em um território, apoiados pela ação coordenada de atores públicos e privados” afirma Pecqueur.

Em uma reunião técnica, a equipe e representantes da Fapesc, Sebrae e BNDE, trataram da construção de um projeto de pesquisa-ação no estado sobre as ‘Cestas de Bens e Serviços Territoriais’ para o conjunto das Agências de Desenvolvimento Regional do Estado de Santa Catarina e demais delimitações territoriais adotadas pelas organizações parceiras. Os representantes das instituições presentes, manifestaram interesse em participar e buscar formas de financiar as atividades do projeto.

A iniciativa do projeto foi tomada pelo Lemate, com participação do Grupo de Pesquisa Politéia (Esag/Udesc), Epagri, Secretaria do Estado de Planejamento, Ministério de Agricultura e Pecuária, Agência de Desenvolvimento Regional de São Joaquim e prefeituras municipais da região da Serra Catarinense.

Outro fruto dessa missão foi a edição de uma versão legendada em português do vídeo A la recherche du Panier de Biens: un nouveau regard sur le développement des territoires (Em busca da Cesta de Bens: um novo olhar sobre o desenvolvimento dos territórios), produzido originalmente pela equipe do Professor Pecqueur na França.

Lançado Retratos da Agricultura Familiar 5 – Ponte Serrada

21/02/2017 13:41

Retratos da Agricultura Familiar Ponte Serrada

Este número da Série Retratos da Agricultura Familiar dedica-se ao município de Ponte Serrada, localizado no Oeste do estado de Santa Catarina.

A pesquisa de campo, que embasa esta publicação, foi realizada durante a disciplina Vivência em Agricultura Familiar (VAF), ministrada semestralmente aos cursos de Agronomia e Zootecnia, do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Santa Catarina (CCA/UFSC), campus Florianópolis. Entre os dias 12 de março e 2 de abril de 2015, os 46 estudantes matriculados na VAF no primeiro semestre de 2015 realizaram um levantamento socioeconômico e ambiental com os agricultores familiares que lhes receberam durante a etapa de campo da disciplina.

A VAF é realizada em diferentes municípios de Santa Catarina e envolve famílias de agricultores selecionadas para receber estudantes de graduação durante 21 dias nas suas unidades produtivas (UP). Nesse período, os estudantes, cuja maioria é da 4ª fase dos cursos de Agronomia e Zootecnia, se integram ao grupo familiar num processo denominado de vivência.

Concluída pesquisa sobre as políticas públicas de combate à pobreza rural com ênfase na sustentabilidade

04/07/2016 12:11

A pesquisa “DESAFIOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS CONTEMPORÂNEAS NO BRASIL: SUPERAÇÃO DA POBREZA RURAL COM ÊNFASE NA SUSTENTABILIDADE”, desenvolvida pelo Lemate entre 2012 e 2015, teve seus relatórios técnico e financeiro aprovados pelo CNPq.

O projeto de pesquisa buscou analisar de forma integrada políticas públicas de enfrentamento da pobreza rural, visando identificar e compreender lacunas nos seus processos de governanças que comprometam o alcance das suas metas. Teve o intuito também de apontar os possíveis ajustes que confiram maior eficácia à capacidade de inserir famílias mais vulneráveis do ponto de vista socioeconômico e de fomentar a sustentabilidade socioambiental. As principais políticas objeto de análise integram programas operados pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a saber: i) Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Territórios Rurais (Pronat) e o Programa Território da Cidadania (PTC); ii) Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); iii) Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) e ações de regularização fundiária.
A fim de alcançar o objetivo geral do projeto, realizou-se um esforço analítico de correlacionar os sistemas de governança dessas políticas públicas com as possibilidades que as mesmas têm de promover a sustentabilidade socioambiental. A compreensão de fundo que norteia este estudo é de que as políticas públicas em geral e especialmente as de desenvolvimento rural tendem a se voltar para categorias sociais intermediárias da estrutura social, não contemplando ou atendendo de forma pontual os estratos sociais da base da pirâmide social. Para tanto, traçou-se os seguintes objetivos específicos:
i) fazer uma síntese de estudos já realizados sobre os programas Pronat/PTC, Pronaf, PNCF e de regularização fundiária de modo a identificar os aspectos considerados positivos, bem como pontos frágeis nos seus sistemas de governanças no que se refere ao enfrentamento da pobreza rural e de promoção da sustentabilidade;
ii) analisar por meio de um estudo de caso como as formulações normativas desses Programas são reprocessadas pelos atores sociais de um território rural e implicações desse processo nos sistemas de governanças implantados na esfera territorial;
iii) propor ajustes nesses sistemas de governanças que confiram maior alcance e eficácia junto às famílias em condição de alta vulnerabilidade socioeconômica e contemplem a dimensão ambiental do preceito da sustentabilidade;
iv) aprimorar a capacidade de pesquisa e fortalecer a cooperação institucional entre o Laboratório de Estudos da Multifuncionalidade Agrícola e do Território (Lemate/UFSC), Núcleo de Estudos Sociopolíticos do Sistema Financeiro (NESFI/UFSC); Observatório de Políticas Públicas para a Agricultura da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (OPPA/CPDA/UFRRJ); Agrosup de Dijon (Université de Dijon-França), Agro Paris Tech e Centre de Coopération Internationale em Recherche Agronomique pour le Développement (Cirad).

Acesse aqui o Relatório Técnico da Pesquisa: Relatório_CNPq_2015_FINAL

Homenagem do Lemate a Philippe Bonnal

15/06/2016 13:27

Bonnal_Diogo_1      Bonnal_Diogo_PassosMaia_1      Bonna_Diogo_PassosMaia_2

No início de junho faleceu o amigo e parceiro de trabalhos dos integrantes do Lemate/UFSC Philippe Bonnal. Pesquisador do CIRAD de Montpellier (França), Philippe mantinha uma profícua colaboração com a equipe do OPPA/UFRRJ, instituição que o Lemate/UFSC participa em diversas atividades. Em 2007 tivemos o privilégio de co-organizar junto com Philippe o I Colóquio Internacional de Desenvolvimento Territorial Sustentável aqui em Florianópolis, que resultou na publicação de um livro sobre o tema. Dois anos mais tarde co-organizamos o livro Agricultura Familiar: multifuncionalidade e desenvolvimento territorial no Brasil. No final de 2013 foi a última vez que recebemos Philippe na UFSC, dessa vez para fazer pesquisa de campo, atividade que o motivava de forma especial. Nessa ocasião trabalhou junto a agricultores familiares catarinenses, além de animar um seminário interno de pesquisa com a equipe do Lemate. Todos os mestrandos e doutorandos que compartilharam esse trabalho de campo e discutiram seus projetos de pesquisa ficaram maravilhados com a gentileza e profundidade teórica de Philippe. Neste momento de despedida anexamos algumas imagens desse último convívio e um agradecimento pela amizade compartilhada. À sua família somos solidários e compartilhamos a tristeza da despedida.

Ademir Antonio Cazella – Coordenador do Lemate/UFSC

Múltiplos olhares em campo: em parceria com pesquisadora francesa, Lemate realiza atividades no Território Meio Oeste Contestado

20/04/2016 11:22

foto monique

 

Dando continuidade aos estudos iniciados em 2011 no Território Meio Oeste Contestado e a tradição de realizar trabalhos acadêmicos em parceria com outras Universidades, o Laboratório de Estudos da Multifuncionalidade Agrícola e do Território (Lemate) realizou uma pesquisa de campo nos municípios de Faxinal do Guedes e Entre Rios nos dias 11, 12 e 13 de abril de 2016. Esta ida ao Meio Oeste Contestado teve como foco compreender melhor algumas estratégias de redução de pobreza desenvolvidas no Território. Participaram das atividades as doutorandas Andréia Tecchio e Monique Medeiros, respectivamente integrantes do Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA/UFRRJ) e do Programa de Pós-graduação em Agroecossistemas, da Universidade Federal de Santa Catarina (PGA/UFSC).

Na tese de doutorado, Andréia Tecchio pesquisa a relação existente entre a territorialização de políticas públicas de luta contra a pobreza, entre elas, o Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Territórios Rurais (PRONAT) e o Programa Territórios da Cidadania (PTC), com a espacialização e a vivência da pobreza no Território Meio Oeste Contestado. Por sua vez, Monique Medeiros enfatiza as limitações da participação de indivíduos em vulnerabilidade socioeconômica em dispositivos coletivos da agricultura familiar, como cooperativas e associações.Para atender os objetivos das pesquisas, foram entrevistados gestores municipais de políticas públicas, conselheiros do Colegiado do Território Meio Oeste Contestado, que representam a sociedade civil, e famílias pobres beneficiárias do Programa Bolsa Família (PBF).

A incursão em campo foi acompanhada pela geógrafa francesa Geneviève Cortes, professora da Université de Montpellier 3. A ida desta pesquisadora ao Meio Oeste Contestado foi possibilitada pelo projeto desenvolvido entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e o Comitê Francês de Avaliação da Cooperação Universitária com o Brasil (Capes/Cofecub). O projeto “Território, pobreza e políticas públicas: uma abordagem pela territorialização” tem como principal objetivo aprofundar e compartilhar conhecimentos concernentes aos processos de territorialização de políticas públicas que visam à redução da pobreza. No Brasil, este projeto é coordenado pelo professor Renato Maluf e conta com a participação de pesquisadores do Observatório de Políticas Públicas para Agricultura (OPPA), vinculado ao CPDA/UFRRJ, e do Lemate. Na França, está sob a direção da pesquisadora Geneviève Cortes, e é vinculado à Unité Mixte de Recherche Acteurs, Ressources et Territoires dans le Développement (ART-Dev).

A multiplicidade de olhares em campo permitiu também responder algumas questões de pesquisa norteadoras de outro projeto em desenvolvimento pelo Lemate no Território. O projeto intitulado “Estudos de iniciativas de descentralização de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento rural de Santa Catarina”, financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc), vem sendo colocado em prática no Meio Oeste Contestado desde maio de 2015. Sob a coordenação do professor Fábio Luiz Búrigo, o intuito central de tal trabalho é analisar as interações entre as iniciativas de descentralização estadual e federal na execução de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento rural no Território.

Buscando-se encontrar pontos de proximidade e diferenciação entre realidades empíricas brasileiras e francesas, entre os dias 14 e 15, as doutorandas Andréia Tecchio e Monique Medeiros discutiram seus temas de pesquisa com a pesquisadora francesa. Essas discussões foram conduzidas pelo professor Ademir Antonio Cazella (CCA/UFSC) e colocaram em evidência a importância das atuais parcerias entre as Universidades e Laboratórios de ambos os países, além da busca por estratégias de cooperação no desenvolvimento de futuros trabalhos.