Pesquisadores do Lemate participam do VIII Workshop Catarinense de Indicação Geográfica

04/11/2019 14:09

Nos dias 30 e 31 de outubro, ocorreu em Florianópolis o VIII Workshop Catarinense de Indicação Geográfica (IG). Em um contexto de globalização e crescente massificação produtiva, esse evento é realizado pela Epagri e pelo Governo Estadual de Santa Catarina, desde 2012, com o intuito de discutir e valorizar alternativas para a promoção do desenvolvimento e a preservação do patrimônio cultural e ambiental vinculadas à produção e prestação de serviços com referência de origem.

A programação da oitava edição contou com palestrantes de renome nacional e internacional, apresentação de trabalhos científicos e mostra de produtos tradicionais. No evento foram apresentados três trabalhos relacionados a pesquisas desenvolvidas no LEMATE.

O mestrando Fernando Henrique Prado apresentou trabalho com foco no processo de construção social da IG da erva-mate do Planalto Norte Catarinense, discutindo a IG enquanto um instrumento promotor do desenvolvimento territorial. O trabalho apresentado pela doutoranda Marja Zattoni Milano, também com foco no Planalto Norte Catarinense, discutiu o caso da valorização da erva-mate como uma estratégia que abre espaço para integrar outras iniciativas territoriais, apresentando o modelo da Cesta de Bens e Serviços Territoriais como possibilidade para a construção de um modelo mais abrangente e articulado de desenvolvimento territorial sustentável. Por fim, o trabalho apresentado pela Professora Thaíse Guzzati, do curso de Educação do Campo da UFSC, analisou o papel do agroturismo na constituição de uma Cesta de Bens e Serviços Territoriais na região da Serra Catarinense.

Os três trabalhos apresentados são resultados de pesquisas desenvolvidas no âmbito do projeto “O Enfoque da Cesta de Bens e Serviços Territoriais: modelo de análise do Desenvolvimento Territorial Sustentável”, que conta com apoio financeiro do CNPq/Edital Universal 2018 e é coordenado pelo Lemate. Além do CNPq, para a realização das pesquisas de campo foi fundamental o apoio da Epagri, do ICMBio, do SEBRAE e do PET Educampo.